Junta apresenta Prémio Literário com estímulo para a prática da escrita e leitura nos mais jovens

O presidente da Junta de Freguesia de Amarante (S. Gonçalo), Madalena, Cepelos e Gatão, Joaquim Pinheiro, apresentou, esta segunda-feira, numa sessão solene no Salão Nobre da sede daquela autarquia, o Prémio de Literatura Infantojuvenil Ilídio Sardoeira. Numa ousada iniciativa da Junta de Freguesia o Prémio de Literatura permitirá a participação de autores de língua portuguesa a partir dos 18 anos, contemplando ainda a participação, num segundo escalão, de estudantes, jovens autores, dos 15 aos 18 anos, que frequentem o ensino secundário nas escolas do concelho de Amarante.

O presidente da Junta de Freguesia de Amarante (S. Gonçalo), Madalena, Cepelos e Gatão, Joaquim Pinheiro, mostrou-se muito agradado com a concretização deste Prémio de Literatura que homenageia um escritor, político, pedagogo de grande mérito e que não merece ficar esquecido. Associar Ilídio Sardoeira a este concurso literário é resgatar do esquecimento uma personalidade e obra de grande valor intelectual, educacional e pedagógico.

«Um concurso desta natureza precisa inevitavelmente de um patrono, de uma inspiração e de uma referência, que tinha de ser obrigatoriamente um amarantino.Assim o nome escolhido foi o de Ilídio Sardoeira, um ilustre poeta, escritor, conferencista e professor, do qual não se tem falado muito, mas que merece reconhecimentos maiores que este, mas este é um reconhecimento muito singelo que a União de Freguesias lhe quer prestar», explicou Joaquim Pinheiro.

«Este concurso, mais do que oferecer uma oportunidade a novos escritores, quer cumprir um importante papel na área da cultura. Quer proporcionar uma renovação no panorama literário e cultural nas escolas», realçou.

Para Joaquim Pinheiro é um dever das autarquias investirem na cultura como forma de dinamização local nos mais diversificados meios.

«A promoção destas atividades devem assumir uma atenção crescente por parte dos poderes públicos, dada a sua importância vital para o desenvolvimento dos indivíduos e das sociedades.Neste sentido, as autarquias (Câmaras e Juntas), apesar dos constrangimentos orçamentais com que se debatem, têm sido, e devem continuar a ser, suportes ativos da vida cultural portuguesa», considerou, enaltecendo o esforço da Junta na promoção anual da Festa do Livro, no Campo da Feira.

«Todos sabemos da importância do livro e dos benefícios da leitura na formação da personalidade humana, bem como, da necessidade de motivar os mais jovens para esta atividade que se considera, como nenhuma outra, fonte inesgotável de saber. Neste campo, começamos há quatro anos com a iniciativa “Festa do livro”, uma iniciativa pioneira em Amarante, onde, durante oito dias, são organizadas atividades que permitem aos alunos das nossas escolas e à população em geral ir ao encontro do livro, do autor, do ilustrador, da música, do teatro, e possa adquirir livros a preços bastante mais acessíveis», afirmou, considerando que «neste contexto, esta União de Freguesias, desde a primeira hora tem estado ao lado de atividades e iniciativas que promovam a cultura, em diversas áreas».

Expetante, agora que o Prémio de Literatura foi apresentado, o presidente da junta espera que o alcance e envolvimento deste concurso seja bastante alargado. Na sessão foi divulgado o regulamento deste concurso literário e apresentado o júri, composto por três elementos, que será presidido pelo consagrado escritor da região António Mota.

Para António Mota, que esteve presente na cerimónia, este prémio será muito estimulante para o cultivo da leitura junto das gerações mais jovens.

Empolgado com a dinamização desta iniciativa cultural o escritor António Mota realçou que faz falta provocar mais ações deste âmbito que promovam a escrita e o hábito pela leitura, enaltecendo o arrojo da Junta de Freguesia de Amarante (S. Gonçalo), Madalena, Cepelos e Gatão em lançar este Prémio Literário.

A data limite para apresentação dos contos a concurso será 15 de março de 2019 e o anúncio do vencedor ocorrerá em abril aquando da inauguração da Feira do Livro que a junta organiza no Campo da Feira.

Note-se que a apresentação deste Prémio de Literatura aconteceu precisamente no dia em que se assinalam 103 anos do nascimento de Ilídio Sardoeira, reconhecido pedagogo, professor, poeta, escritor e autor de algumas histórias infantis.

GALERIA